Pouco tempo

Sei que às vezes você olha o horizonte

Ansioso por viver outros sonhos

Eu nunca quis roubar você em nada

Nem deixá-lo assim, sem tempo

Mas peço apenas paciência

Não vou chorar para sempre

Uma hora paro de fazer barulho nas madrugadas

Logo não usarei mais fraldas

O corpo mudará, minha mente será diferente

Dependerei cada vez menos

E então você viverá seus outros sonhos.


Parece-me um acordo justo, embora custoso

Pois esses sonhos têm a capacidade que não tenho

De esperar por você, anos a fio se for preciso

Eles não usam fraldas nem tem cólica

E embora às vezes seja frustrante

Não poder viver todos os sonhos ao mesmo tempo

Eles não têm sentido sem nossa família junto


Chegará, quando você já não esperar

O dia em que reconhecerei o que você fez por mim

O sacrifício que hoje está diante dos meus pequenos olhos

Mas que não percebo

E ali entenderei, mesmo que você jamais me diga

O quanto custou me amar


Achei que as comidinhas de brincadeira

Que você come comigo e com as bonecas

No chão da nossa sala fossem de graça

Mas nesse dia descobrirei o quanto custou para você

Sim, descobrirei porque

Quando se investe tudo que se tem de mais precioso

Em quem se ama

É impossível que essa pessoa não descubra, cedo ou tarde


Descobrirei que

Sonhos são maiores que o tempo

Mas precisam de tempo para existir

E embora o amor esteja acima dos relógios

O tempo também tem sua grandeza

É preciso subir, degrau a degrau, a escadaria das horas

Subida tão cheia de sacrifício

Para se alcançar o amor, escalado silenciosamente

Através dos calendários


Mas quando chegar o momento

Em que você tiver não apenas subido

Como também levado nas costas sua família até o cume do amor

Nessa jornada de tanto ensinamento

Tenha fé de que nesse pico

Deus lhe dará asas gigantescas

Para voar e alcançar tudo o que não apenas deseja

Mas também tudo que seu sacrifício por nós lhe tornou merecedor.


T. Bernardes


7 visualizações